Teste

Breaking News

Na fila: Prisão de Cabral abre Lava Jato para governos estaduais


Após se debruçar sobre os governos de Lula e Dilma, a Operação Lava Jato passou a mirar também os governos estaduais. O primeiro a cair foi o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral (PMDB), preso na última quarta-feira, 16, acusado de cobrar propina de mais de R$ 200 milhões de obras federais no Estado. Em Goiás, as empreiteiras envolvidas na Lava Jato fizeram diversos contratos com o governo de Marconi Perillo (PSDB). 

O nome do governador de Goiás já apareceu em uma lista de distribuição de valores pela Odebrecht. A delação dos donos da empreiteira já foi homologada, mas até o momento os procuradores federais à frente da Lava Jato ainda não deram prosseguimento com novas etapas à partir do acordo de delação da Odebrecht. É uma questão de tempo, no entanto. 


Outra ponta da Lava Jato que ameaça o governo tucano em Goiás é a delação de Fernando Cavendish, ex-proprietário da Construtora Delta. Amigo de Cabral, Cavendish também fez diversos negócios com o governo goiano – até o contrato milionário de aluguel da frota de veículos da Secretaria de Segurança Pública chegou a pertencer a Delta. 

goiasreal

Nenhum comentário