Teste

Breaking News

As famílias não podem achar que educar é papel da polícia, diz secretário



O secretário da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), Maurício Barbosa, teceu críticas à legislação penal brasileira na manhã desta segunda-feira (8) durante entrevista à Metrópole FM. O gestor do governo Rui Costa aponta ainda que há um envolvimento cada vez mais cedo de menores no mundo do crime.
"Nós estamos vendo crianças de 12 anos com uma metralhadora na mão. Primeiro lugar, é a vida do cidadão de bem e da polícia que faz a defesa da sociedade, depois a vida do marginal. A gente não espera a resistência do marginal, mas se houver, primeiro lugar é a vida do policial. Hoje precisa-se de polícia para tudo. Hoje a gente precisa de ronda escolar porque é aluno batendo em professor, a gente precisa ter a ronda Maria da Penha porque é marido batendo em mulher e em pleno 2017 a polícia ainda atua em problema domésticos. Onde vamos parar? É policia fazendo parto em viatura. As famílias não podem largar seu filhos achando que o papel de educar é da policia, dos professores”, desabafou o titular da SSP-BA.
Ainda na entrevista, Barbosa apontou que houve um deslocamento de quadrilhas para cidades do interior da Bahia por conta da facilidade de atuação. "Ao lançarmos o Pacto Pela Vida, vimos que 80% dos homicídios da bahia acontecem em 20 munícipios. O que a gente viu foram quadrilhas migrarem para cidades menores. Houve ainda a ida da crimialidade para cidades menores porque nas cidades menores há falta de estrutura”, reconheceu.

Nenhum comentário