Teste

Breaking News

Esquema investigado pela PF teria beneficiado campanha de Rui Costa





Existe a suspeita de que a campanha do governador Rui Costa, em 2014, teria sido beneficiada pelo esquema investigado pela operação Hidra de Lerna, deflagrada pela Polícia Federal na manhã desta terça-feira (4). A informação foi divulgada pelo “Bom Dia Brasil”, da TV Globo. A PF ainda não confirma a informação por se tratar de uma investigação sigilosa. Os policiais estão cumprindo 16 mandados de busca e apreensão autorizados pela ministra Maria Thereza Rocha de Assis Moura, do Superior Tribunal de Justiça (STJ). A PF investiga um grupo responsável tanto pela possível prática de financiamento ilegal de campanhas políticas na Bahia, quanto por esquemas de fraudes em licitações e contratos no Ministério das Cidades.
A empreiteira OAS, a agência de publicidade Propeg e o diretório do PT na Bahia são alvos da investigação. A operação é consequência de três delações de investigados na Operação Acrônimo, já homologadas pela Justiça e em processo de validação. A empreiteira sob investigação teria contratado de maneira fictícia empresas do ramo de comunicação especializadas na realização de campanhas políticas. Os agentes também estiveram na casa do ex-ministro e conselheiro do Tribunal de Contas do Estado, Mário Negromonte, localizada no Itaigara, onde malotes foram apreendidos.
Varela Notícias entrou em contato com o presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, que informou estar chegando em Salvador e ainda não ter conhecimento sobre os detalhes da operação até a publicação desta matéria. Já a Propeg, em nota, se pronunciou sobre o assunto. “A Propeg tem auxiliado, por iniciativa própria, desde junho deste ano, as autoridades judiciais para esclarecer e apurar os fatos investigados. A agência antecipou-se e forneceu diversas informações, bem como prestou depoimentos espontâneos”, ressalta o comunicado.

Nenhum comentário