Teste

Breaking News

Já decidiu o que fazer com o 13º? Economista dá dicas do que fazer com o benefício





A primeira parcela do décimo terceiro salário deve ser liberada até o próximo dia 20 de novembro, para quem tem direito ao pagamento. Em todo o Brasil, cerca de 48,1 milhões de pessoas deverão receber o benefício. O DIEESE – Departamento intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – estima que 4,7 milhões de trabalhadores devem receber o benefício. Devem ser injetados R$ 8,57 bilhões na Bahia, valor que representa 3,5% do PIB estadual. O economista Edísio Freire conversou com o Varela Notícias e deu algumas dicas do que fazer com o pagamento. 
Planejar o que fazer com o dinheiro é fundamental. Para Edísio, planejar o que fazer proporciona um destino melhor ao dinheiro: “Se você sabe do que precisa e o que tem que fazer, a tendência é aplicar melhor esse dinheiro. Usar ele de forma mais produtiva, de forma mais pró-ativa”. Já a falta de planejamento faz o dinheiro ‘sumir’ sem ser notado: “Quando você não planeja você acaba gastando e nem sabendo com o que gastou. Essa é a grande realidade. Você recebe o dinheiro, vai gastando com uma coisa aqui, uma coisa ali, quando você procura: cadê o dinheiro? Sumiu. Você não sabe pra onde foi. Quando você planeja é diferente, você tem uma ideia do que vai fazer e fica com a sensação de que usou o dinheiro de forma produtiva“.

Sem planos
Para quem ainda não decidiu o que fazer com o abono, o economista alerta: “A primeira coisa a fazer é planejar. Parar para avaliar quais são suas prioridades agora de final de ano. Se você tem dívidas, se quer fazer uma viagem, uma reforma na casa, comprar um eletrodoméstico novo. É preciso avaliar as necessidades do momento e com base nelas você vai traçar o planejamento para utilizar o seu décimo terceiro da melhor forma possível”.
Quitar dívidas
As parcelas do décimo terceiro podem ser utilizadas para pagar algumas dívidas pendentes.  Se é o caso, é preciso olhar com calma pra isso e avaliar a possibilidade de amortizar –reduzir–, caso não consiga quitar a dívida por inteiro, pra que o volume de juros pagos seja reduzido.
Investimento
Guardar uma parte do capital é tão importante quanto saber gastá-lo. Edísio lembra que é necessário encontrar uma forma de investimento compatível com o perfil do investidor: “A poupança é a mais conhecida, mas já não é mais um bom produto para investimento. Há outras opções no mercado que podem ser úteis, como o Seguro Direto, uma opção bacana pra quem ta começando um investimento a depender do valor e do prazo que será investido. Outras opções também podem ser úteis, como o CDB e Letra de Crédito. Essas são as opções mais acessíveis, mas ainda há muitas outras. O ideal é fazer um planejamento, buscar uma orientação e ver qual o melhor caminho”.
Ele conta ainda que não ainda buscar a melhor opção para investir. Cada opção é melhor para determinado perfil de cliente: “Não há uma fórmula pronta. Não há qual é melhor, qual é pior. Vai depender do perfil do investidor, de quanto a pessoa quer investir, do tempo que será investido. Tudo depende do perfil de cada um.
Despesas fixas
Se o décimo terceiro é destinado para quitar despesas mensais, o economista dá um aviso: “Se você tem a necessidade de pagar alguma despesa fixa, provavelmente houve um desequilíbrio em algum momento no seu orçamento, pois elas deveriam estar enquadradas dentro do orçamento da renda mensal. Normalmente quando você está com o orçamento equilibrado, o décimo terceiro não vai pra este tipo de gasto. Mas claro, o décimo pode ser utilizado para quitá-las.”
Final de ano
Estrategicamente, as parcelas do décimo terceiro salário são disponibilizadas em datas próximas ás festas de final de ano. Para Edísio, o ideal é planejar estes gastos com antecedência e tentar evitar que sejam feitos em cima da hora: “Há despesas de final de ano que são comuns todos os anos, como as do natal, presentes, ceia de natal, programação de viagem, o que for. Se você sabe que vai ter esta despesa e puder se antecipar para comprar com desconto é muito interessante”.
Inicio de ano
Assim como existem os gastos de final de ano, o início de ano também conta com algumas despesas distintas de início de ano. Para não passar aperto, o ideal é planejar com antecedência estes gastos: “Assim como no final do ano temos mais despesas, no início do ano não é diferente. Tem IPVA, IPTU, despesas de colégio – para quem tem filhos-, despesas características de início de ano. Então se esse é o seu perfil, é interessante guardar uma parte do décimo para não se apertar tanto no inicio do ano”.

Nenhum comentário