Teste


Breaking News

Heber recebe 4.201% a mais em recursos que média de candidatos do PSC na Bahia




Candidato a deputado federal pelo PSC, o deputado estadual Heber Santana recebeu do partido um valor 4.201% maior que a média repassada para os oito candidatos a deputado federal da sigla na Bahia.

Presidente do PSC na Bahia, Heber abocanhou sozinho R$ 400 mil em doações do diretório nacional do partido, enquanto, em média, os outros postulantes da legenda à Câmara dos Deputados ficaram com apenas R$ 9,3 mil cada. A disparidade foi encontrada em um levantamento feito pelo Bahia Notícias no DivulgaCand, ferramenta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que reúne informações sobre os candidatos das eleições deste ano.  



Chama atenção o fato de que alguns candidatos a deputado estadual da legenda receberam mais dinheiro do diretório nacional do PSC que aqueles que concorrem à Câmara. São os casos, por exemplo, de Hildécio Meireles e Soldado Prisco, ambos com R$ 100 mil cada em recursos do fundo eleitoral, e Sidelvan Nóbrega, que embolsou R$ 50 mil. Os três disputam mais um mandato na Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) e se filiaram ao partido apenas recentemente, no período de janela partidária, encerrado em abril deste ano. 

Dentro do partido, Heber é considerado como uma das principais apostas da sigla para manter uma cadeira na Câmara, já que o atual deputado federal da sigla, Irmão Lázaro, concorre ao Senado. A outra cadeira conquistada pela legenda em 2014 foi de Erivelton Santana, que migrou para o Patriota e tenta reeleição. Mesmo com o PSC tendo conseguido duas vagas no último pleito, a eleição de Heber não é considerada tranquila, o que pode justificar a concentração de recursos na figura do deputado estadual, em detrimento de outras candidaturas. 

Segundo informações que circulam nos bastidores, o movimento que levou PSC, PTB, Solidariedade e PPL a formarem uma nova chapa proporcional (relembre), a contragosto dos partidos maiores do grupo político de ACM Neto, teve como um dos líderes o próprio Heber, em tentativa de viabilizar sua eleição. A avalição é de que, em uma coligação com partidos como PRB, DEM e PSDB, a eleição do social-cristão estaria em risco.

Além disso, o pai de Heber, Eliel Santana, faz parte da Executiva Nacional do PSC, instância partidária em que são tomadas as principais decisões relacionadas ao funcionamento de uma sigla. Por isso, entenda-se também estratégias para as eleições, o que incluem as definições sobre como será feita a divisão do fundo eleitoral.

Em entrevista ao BN, Eliel explicou, entretanto, que o repasse vultuoso para Heber já havia sido acordado anteriormente, quando o partido decidiu apostar na candidatura dele para deputado federal. O empenho em torno do nome deste nome vem por dois fatores: potencial eleitoral e uma espécie de justiça, segundo Eliel. Em relação a este último item, o pai de Heber explicou que o filho optou por um caminho político mais perigoso quando aceitou o desafio de deixar a Câmara de Vereadores de Salvador para posteriormente disputar a Câmara dos Deputados, atendendo a uma necessidade que se impôs ao PSC após a saída de Erivelton.

"A partir do momento em que o partido optou pela candidatura dele, fez um compromisso com ele. Heber poderia continuar vereador e sair para deputado federal. Poderia perder a eleição e continuar vereador. Mas ele correu um risco maior quando abriu mão do mandato de vereador, foi para deputado estadual ficar somente dois anos e partir para uma candidatura a deputado federal porque o partido precisava de um nome consolidado, por conta da cláusula de barreira que vamos enfrentar", justificou.

Ex-presidente do PSC na Bahia, Eliel ponderou, no entanto, que os R$ 400 mil não estão sendo usados apenas na candidatura de Heber, e sim na produção de material de campanha para os candidatos a deputado estadual. Isso pode favorecê-lo ainda mais em relação a outros candidatos porque, além de ter ao dispor a estrutura partidária do PSC, tem seu nome aparecendo na divulgação feita pelos correlegionários, o que ajuda a propagá-lo. 

O ex-presidente estadual do partido também pontuou que o financiamento de campanha não se restringe apenas ao período da eleição. De acordo com ele, o PSC acordou com os candidatos que aqueles que tiverem bom desempenho eleitoral podem ter dívidas de campanha pagas pela sigla posteriormente. O Bahia Notícias tentou contato com Heber para falar sobre a doação, mas não obteve sucesso. 

Nenhum comentário