Teste

Breaking News

PCdoB apresenta ao STF ação contra decreto de armas de Bolsonaro




O PCdoB apresentou ao Supremo Tribunal Federal (STF) uma ação direta de inconstitucionalidade para questionar o decreto de armas assinado pelo presidente Jair Bolsonaro. A ação pede que o decreto seja suspenso até seu julgamento definitivo.

O partido alega que Bolsonaro usou o decreto para "usurpar atribuições do poder legislativo", já que ele contraria o Estatuto do Desarmamento, e que a função de editar norma sobre o tema é do Congresso Nacional. 

"Trata-se de normas que inovam o conteúdo normativo contido na Lei 10.826/2003, que somente o Poder Legislativo, por deliberação de suas duas Casas – a Câmara dos Deputados e o Senado Federal – podem adotar”, diz um trecho da ação. 

Outro ponto questionado pela legenda foi o fato de que o decreto estabelece como efetiva necessidade o fato de o interessado viver em área urbana com elevados índices de violência, que possuem mais de 10 homicídios por 100 mil habitantes. Segundo os dados de 2016 do Atlas da Violência 2018, usados como parâmetro na norma questionada, todas os estados brasileiros e o Distrito Federal tiveram mais de 10 homicídios por 100 mil habitantes.

O decreto, portanto, permite que todos os brasileiros e brasileiras possuam até quatro armas, que ficariam guardadas em cofres ou locais seguros dentro de casa. O julgamento da ação ainda não possui um ministro relator do caso. O Supremo Tribunal Federal volta do recesso judiciário no dia 1º de fevereiro. 

Nenhum comentário