Teste


Breaking News



Rui Costa (PT), evitou comentar a provação do cantor-político Igor Kannário




O governador da Bahia, Rui Costa (PT), evitou comentar a provação do cantor-político Igor Kannário (DEM), que lançou uma música após polêmica no Carnaval. “Eu acho que o carnaval passou. Eu prefiro bater palmas para os artistas que pregam a paz, pregam a tolerância e pregam a boa convivência das instituições. A sociedade democrática é feita de instituições e a nossa Polícia Militar é uma instituição de 180 anos. E, por isso, eu determinei a Procuradoria Geral do Estado para que adote todas as medidas que foram cabíveis judicialmente para este caso”, declarou o petista baiano.

Kannário se envolveu em polêmica no carnaval deste ano após criticar a atuação da Polícia Militar. Na nova composição, o cantor-político critica.“Botando a cara para bater. Falando a verdade independente. Lutando pra defender. Meu povo agredido covardemente. O gueto merece respeito. A rua segue gritando. Socorro meu Deus o que eu fiz. Não somos delinquentes Para está apanhando. A favela está fechada com Kannário. O Kannário está fechado com a favela. Só queremos paz ,não queremos guerra”, cantarolou.

Ao puxar a pipoca deste ano no Campo Grande, Kannário declarou: “se acontecer alguma coisa comigo, quem mandou me matar foi alguém da Polícia Militar”. Também chamou os PMs de “bunda mole”.

O governador Rui Costa acionou a Procuradoria Geral do Estado (PGE) para que o órgão adote as medidas legais cabíveis. A PGE entrou com uma representação junto ao Ministério Público da Bahia. “É inaceitável o ato público de desrespeito e agressão contra a Polícia Militar da Bahia registrado no Campo Grande. Acionei a Procuradoria Geral para que o Estado formalize uma representação junto ao Ministério Público da Bahia. “É inaceitável o ato público de desrespeito e agressão contra a Polícia Militar da Bahia registrado no Campo Grande. Acionei a Procuradoria Geral para que o Estado formalize uma representação junto ao Ministério Público da Bahia a respeito deste fato. Medidas cabíveis que estiverem no âmbito do MP precisam ser tomadas em respeito à PM e em defesa da honra de pais e mães de família que fazem parte da corporação”, disse o governador. Em nota enviada pela assessoria, o deputado afirmou que está “completamente tranquilo”.

Há diversos vídeos mostrando a ação inadequada de alguns policiais, que não condizem com a maioria da Polícia Militar, não só nesse ano. As imagens falam por si. Reitero meu respeito pela instituição Polícia Militar e tenho certeza de que não teríamos Carnaval sem a corporação, mas ressalto novamente que não vou me calar diante dos excessos. O comportamento equivocado não deve ser normalizado, ao contrário, deve ser criticado, sim, e medidas devem ser tomadas para que não ocorram excessos contra os foliões. Inclusive, elogiei diversas vezes o tratamento de policiais na minha pipoca. E sempre vou elogiar quando o comportamento for correto. Sempre que vejo alguma confusão na minha pipoca, paro o trio e a música para chamar a atenção dos brigões. Agora, ano após ano, vemos casos de excessos contra foliões na pipoca do Kannário. Por que esse comportamento não é explicado? Será que o povo da favela merece ser tratado dessa forma sempre? São perguntas que seguem sem resposta”, declarou.

Fonte: Tribuna da Bahia

Nenhum comentário