Teste


Breaking News



Huawei supera Samsung e vira maior fabricante de celulares do mundo

Huawei supera Samsung e vira maior fabricante de celulares do mundo

1 min de leitura
Imagem de: Huawei supera Samsung e vira maior fabricante de celulares do mundo
Imagem: Huawei
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor
A fabricante chinesa Huawei ultrapassou a sul-coreana Samsung e agora é a nova líder no mercado mundial de smartphones. A informação veio de um relatório da Canalys, especialista em análises de mercado, e vale para o segundo trimestre de 2020.
De acordo com o documento, foram enviados para venda 55,8 milhões de celulares da Huawei no período, enquanto a rival chegou a 53,7 milhões no mesmo período. Ambas apresentaram quedas em relação ao mesmo período do ano passado — 5% e 30%, respectivamente. Em junho, um relatório da Counterpoint Research também apontava a mudança no primeiro lugar do pódio.
O desempenho está totalmente conectado à pandemia do novo coronavírus e, por isso, pode ser apenas uma ultrapassagem temporária. A Huawei conseguiu aumentar consideravelmente a fatia de mercado na própria China, país que foi o epicentro da covid-19, mas virou também um dos primeiros locais a reabrir o comércio e tem uma população consumidora bastante considerável. Por outro lado, na segunda metade de 2020, a Samsung pode melhorar o desempenho no mercado com a chegada da família Galaxy Note 20.
O desempenho das rivais nos últimos anos.O desempenho das rivais nos últimos anos.Fonte:  Canalys 
Entretanto, isso não deve tirar todos os méritos da nova líder. Como mostra o gráfico acima, ela vendia pouco menos de 20 milhões de unidades por trimestre em 2014, enquanto a Samsung comercializava quatro vezes mais aparelhos. A Apple mantém o terceiro lugar.
Outro motivo envolve as sanções dos Estados Unidos contra a chinesa, desde a proibição de uso do ecossistema Android até contratos com fabricante de semicondutores. Embora isso tenha limitado a sua atuação em mercados ocidentais, a guerra comercial e ideológica fortaleceu a fabricante em sua terra natal.

Nenhum comentário