Australiano põe fogo na própria loja para 'proteger' clientes da covid-19 .

Dono de um supermercado em Bruce Rock, na Austrália, confessou ter colocado fogo na própria loja em março para "proteger" clientes de serem infectados pelo coronavírus - Reprodução/Twitter/Bruce Rock Police Department

Imagem: Reprodução/Twitter/Bruce Rock Police Department

Dono de um supermercado em Bruce Rock, na Austrália, confessou ter colocado fogo na própria loja em março para "proteger" clientes de serem infectados pelo coronavírus

Um australiano foi acusado de ter iniciado de forma deliberada os incêndios que devastam a costa leste do país com o objetivo de proteger sua plantação de maconha.

Quatro pessoas morreram e 300 casas foram destruídas pelas chamas, que devastaram mais de um milhão de hectares nos últimos dias.

A polícia informou que o homem de 51 anos foi acusado de iniciar de maneira intencional os incêndios ao atear fogo em um ponto da cidade de Ebor, em Nova Gales do Sul, em uma tentativa de proteger sua plantação de maconha.

Tudo começou com uma tentativa de queimada - uma prática utilizada pelos bombeiros para limpar a vegetação rasteira que alimenta os incêndios -, mas as chamas se propagaram rapidamente.

De acordo com a polícia, o homem não fez nada para tentar apagar o fogo.

O incêndio de Ebor afeta uma superfície de 10.000 hectares e continua fora de controle.

As autoridades acreditam que incendiários estão por trás de outros focos de chamas tanto em Nova Gales do Sul como na vizinha Queensland. O governo pediu ajuda da população para encontrar os culpados.

Neste domingo, os dois estados registravam 130 incêndios ativos, agravados pela seca que afeta o país.

Nenhum comentário