O país onde influenciadores do TikTok e do Instagram são presos por ‘indecência’

 O país onde influenciadores do TikTok e do Instagram são presos por ‘indecência’

Nós ficamos em choque. Ela não fez nada de errado, minha irmã não é criminosa”, disse Rahma al-Adham, sobre a caçula, uma influenciadora em redes sociais do Egito.

Mawada, uma universitária de 22 anos, foi sentenciada no mês passado a dois anos de prisão após ser condenada por violar valores familiares egípcios.

Ela foi presa em maio após publicar vídeos nas plataformas TikTok e Instagram nos quais ela faz playback de músicas famosas com roupas estilosas. Para a Promotoria, os vídeos eram indecentes.

Mawada tem mais de 3 milhões de seguidores no TikTok e 1,6 milhão no Instagram.

“Ela só queria ser famosa e popular”, lamenta a irmã Rahma.

‘Garotas do TikTok’

Mawada é uma das cinco jovens que receberam a mesma sentença de prisão, além de uma multa equivalente a quase R$ 110 mil.

Rahma afirma que sua irmã influenciadora trabalhava como modelo nas redes sociais para diversas marcas conhecidas. “Ela era muito ambiciosa, sonhava em ser atriz. Por que ela? Algumas atrizes se vestem de um jeito bastante explícito, mas ninguém toca nelas.”

Segundo a entidade de defesa dos direitos humanos Anistia Internacional, investigadores usaram 17 fotos de Mawada como provas de sua “indecência”. A influenciadora argumenta que essas imagens foram vazadas de seu telefone celular depois que ele foi roubado no ano passado.

Fonte: BBC

Image caption

Nenhum comentário