Teste

Breaking News

Médicas do Programa Mais Médicos de Riachão das Neves foram mobilizados nesta sexta-feira,



Profissionais da enfermagem dos PSFs e médicas do Programa Mais Médicos de Riachão das Neves foram mobilizados nesta sexta-feira, dia 26, no Primeiro módulo do curso de capacitação para identificação de casos de Hanseníase, ministrado pelo dermatologista Dr. José Oliveira. O curso faz parte do projeto de educação permanente e continuada desenvolvido desde 2017 pela Secretaria Municipal de Saúde, com apoio do Prefeito Municipal, Miguel Crisóstomo. 

A Coordenadora local da VIEP (Vigilância Epidemiológica), Enfermeira Giuvana Nobre, iniciou os trabalhos apresentando dados epidemiológicos da Hanseníase no Brasil e no mundo. O Dr. José Oliveira, por sua vez, abordou os aspectos técnicos relacionados à identificação dos sinais e sintomas da doença e os protocolos de diagnóstico e tratamento. A hanseníase, antigamente conhecida como lepra, é uma doença infecciosa causada por uma bactéria chamada Mycobacterium leprae ou bacilo de Hansen. Há registros históricos de casos de Hanseníase há mais de 4000 anos, na China, Egito e Índia, sendo inclusive citada na Bíblia Cristã. A doença tem cura, mas, se não tratada, pode deixar sequelas. Hoje, em todo o mundo, o tratamento é oferecido gratuitamente, visando que a doença deixe de ser um problema de saúde pública.

 Atualmente, os países com maior detecção de casos são os menos desenvolvidos economicamente. Em 2016, o Ministério da Saúde registrou no Brasil mais de 28.000 casos novos da doença. Em Riachão das Neves, foram registrados 32 casos nos últimos 5 anos, sendo todos devidamente tratados e acompanhados. A Coordenadora da Atenção Básica municipal, enfermeira Tailane Andrade e a apoiadora Juliana Sena, afirmam a importância da interação entre a Vigilância Epidemiológica, Atenção Básica e comunidade na divulgação de informações para prevenção e combate desta patologia, considerada endêmica em todo o Oeste da Bahia. “Além da valorização dos profissionais da atenção básica, seguimos na intenção de preparar melhor as equipes de PSF para prestar à população um serviço qualificado e humanizado, de forma descentralizada e intersetorial”, esclarece a secretária de saúde, Franciane Moura



Nenhum comentário