MP denuncia Sara Giromini e pede indenização de R$ 1,32 milhão

 

MP denuncia Sara Giromini e pede indenização de R$ 1,32 milhão

Na ação civil pública, argumento é que ativista teve acesso ilegal a dados da criança de 10 anos estuprada pelo tio e expôs nas redes sociais


A ativista bolsonarista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter

A ativista bolsonarista Sara Giromini, conhecida como Sara Winter

AE/DIDA SAMPAIO/ESTADÃO CONTEÚDO - 09.06.2020


A extremista Sara Giromini foi denunciada pelo Ministério Público do Espírito Santo, por meio da Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de São Mateus, que ajuizou uma ação civil pública. Segundo o MP-ES, a extremista “teve acesso, de forma ilegal, a detalhes do caso de uma criança vítima de violência sexual que corre em segredo de justiça”.

Leia também: Canal de Sara Giromini é retirado do ar 'por violar Termos de Serviço' 

Ainda de acordo com o órgão, Sara usou as redes sociais para divulgar as informações obtidas ilegalmente.

“Além do acesso ilegal, Sara veiculou vídeo nas redes sociais, por meio do perfil do Instagram, bem como na página do Twitter, divulgando expressamente o nome da criança e tornando público o endereço do hospital onde ela passaria por um procedimento de interrupção da gestação indesejada. No vídeo veiculado, que obteve aproximadamente 66 mil visualizações, a requerida expõe a criança e a família dela e conclama os seguidores a se manifestarem, em frontal ofensa à legislação protetiva da criança e do adolescente”, justificou o MP.

Em virtude desta divulgação, o Ministério Público capixaba pede a condenação da extremista e o pagamento de indenização a título de dano moral coletivo, no valor de R$1,32 milhão, que será revertido ao Fundo Municipal de Direitos da Criança e do Adolescente.

A reportagem procurou a defesa de Sara Giromini, mas até agora não houve resposta.

Nenhum comentário