ISIDÓRIO QUER RENDA SOCIAL PERMANENTE PARA OS MAIS HUMILDES DE SALVADOR NO PÓS COVID-19. ESTUDOS PRELIMINARES DÃO CONTA QUE É POSSÍVEL ATINGIR DE 150 A 250 MIL FAMÍLIAS DA CAPITAL


As nefastas consequências sociais da COVID-19 para os soteropolitanos devem demorar de passar na avaliação dos candidados à Prefeitura de Salvador Pastor Sargento Isidório (AVANTE) e Eleusa Coronel (PSD).

"Nossos técnicos já estão avaliando o orçamento, vamos pedir apoio à Câmara Municipal que se formará agora nas eleições a partir de uma cidade muito machucada pelo coronavírus com saldo terrível de mais de 2.600 famílias enlutadas em Salvador. Logo, puxando as "planilhas para as nossas mãos" e evitando toda sorte de desperdício, com certeza encontraremos recursos para atender o povo bom e trabalhador de Salvador", disse o candidato da Coligação VAMOS CUIDAR DE GENTE.

Continua o Pastor Sargento Isidório: "quem vive em Salvador sabe muito bem, hoje a prioridade é o concreto é às vezes até enterrar granitos. Sob a gestão de Eleusa e eu vamos CUIDAR DE GENTE, colocando as pessoas no eixo central das decisões da cidade. Vamos restaurar o importante expediente do Orçamento Participativo e a necessária RENDA SOCIAL SALVADOR. Em valores que ajude o orçamento dessa famílias carentes aumentando dentro dos dos limites fiscais o número de famílias carentes beneficiadas em Salvador.

Há mais de 8 anos nossa Capital figura no macabro pódio das capitais brasileiras com os maiores índices de desemprego do país. Números recentes do IBGE apontam que Salvador voltou a subir no ranking de desocupação entre as capitais, da 3ª posição no ano de 2019 para a 2ª posição nos primeiros três meses de 2020, agora estamos acima apenas de Manaus (AM).

O pior de tudo é que se Salvador vai mal, toda RMS decai. A Região Metropolitana de Salvador também apresentou aumento na taxa de desocupação, com 18,9% de pessoas desempregadas e procurando por emprego, segundo o IBGE - PNAD Contínua. Lamentavelmente, a RMS voltou a ser a Região Metropolitana do Brasil com maior taxa de desocupação, após encerrar 2019 na 2ª posição, afirma Isidório justificando sua proposta social.



Pastor isidório

Nenhum comentário