Teste

Breaking News

José de Arimateia realiza ato pelo Setembro Colorido



As pessoas que passaram pelo Saguão Principal da Assembleia Legislativa da Bahia (ALBA), durante toda a manhã desta quarta-feira (dia 27), foram contempladas com uma série de informações referentes a saúde. A situação só foi possível através do Ato de Conscientização pelo Setembro Colorido: Amarelo de Prevenção ao Suicídio, Verde de Incentivo ao Transplante e Doação de Órgãos e Vermelho e Branco pelo HTLV. A ação foi idealizada pelo presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Saúde e Institutos de Pesquisas Afins na Bahia, deputado estadual José de Arimateia (PRB-BA).
Na abertura solene da ação, o deputado Arimateia afirmou que as temáticas mencionadas no ato são pouco discutidas pela população, além de tidos como tabus e cercados por diferentes ideologias, crenças e culturas, o que, segundo o parlamentar acaba resultando na pouca difusão, gerando dúvidas, preconceitos e pouco conhecimento.“Trago aqui esta ação com a finalidade de conscientizar, orientar e também chamar a atenção de todos que por aqui passarem. Esse evento potencializa a relevância da prevenção como ainda ressalta a valorização da vida”, explicou Arimateia.
Em seu pronunciamento, o republicano ilustrou o suicídio, classificado atualmente como um dos graves problemas de saúde pública mundial. O mal deixa o Brasil entre os dez países com maior incidência. “A depressão ainda é o principal fator associado. Vale ressaltar que falar, sem dúvida, ainda é a melhor solução”, alertou arimateia, enfatizando que existe hoje uma média de um suicídio por hora.
O evento, que foi realizado no Dia Nacional de Doação de Órgãos e Tecidos, foi um assunto detalhado pelo deputado Arimateia. Hoje, a Bahia tem 1.871 pessoas na fila do transplante, destas, 14 aguardam por um fígado, 802 por um rim, uma por um coração, três por pulmão, e a maior espera fica por conta do transplante de córnea, com 1051 pessoas. Para ele a data expressa essencialmente a importância de um gesto que pode salvar muitas vidas. “Na questão da doação de órgãos ainda permeia um grande entrave: a alta taxa de recusa familiar ao ato, já que, mesmo o doador expressando, em vida, a sua vontade, a captação de órgãos e tecidos somente ocorre após a autorização por escrito dos parentes”, ilustrou.
Já o HTLV, doença viral que infecta as células de defesa do organismo (os linfócitos t), também foi falada na cerimônia. Para o  deputado José de Arimateia, a doença ainda permanece pouco conhecida por boa parte da população, inclusive por profissionais de saúde. Ele alertou a comunidade baiana, porque a enfermidade ainda é bastante confundida com o HIV, o vírus da Aids. Os principais sintomas do HTLV são: dores, fraqueza, dormência ou formigamento nas pernas, dores na região lombar e dificuldades de caminhar e urinar. “A prevenção sempre será o melhor remédio, por isso é importante salientar as formas de contágio da doença”, advertiu Arimateia.
Estiveram presentes na ação, a presidente da Associação HTLVida, Adijeane Oliveira de Jesus, o presidente da Renal Bahia, José Vasconcelos, a presidente da Associação Baiana de Mucopolissaridose (ABAMPS), Márcia Oliveira, representando o Centro de Valorização da Vida (CVV), João Eudes, além de Fabrizio, que representou a coordenadora Estadual de Transplantes, Rita de Cássia Pedrosa.

Nenhum comentário