Teste


Breaking News

17 Benefícios cientificamente comprovados do ômega 3


Basicamente o ômega-3 tem uma grande ação anti-inflamatória.
E sabemos que a inflamação é o grande vilão das pessoas que estão envelhecendo.
A inflamação está relacionada ao infarto, ao AVC, ao câncer, à obesidade.
Muitas coisas do nosso dia a dia nos inflamam: uma má alimentação rica em açúcares e refinados, o sedentarismo, a falta de sono, o estresse, o excesso de álcool, fumo, e por ai vai….
Porém essa inflamação é uma inflamação silenciosa, é uma inflamação que a gente não percebe, mas que vai agredindo os nossos órgãos e sistemas, os nossos vasos sanguíneos, o nosso coração, o nosso cérebro e nos pré dispondo a uma série de doenças.
E aí? Como é que funciona o ômega 3?
Dentro do nosso corpo existe uma cascata pró-inflamatória e outra anti-inflamatório.
Elas têm que estar em equilíbrio para o nosso corpo ficar legal.
Se tiver o excesso de inflamação, agride muito o nosso organismo, pode até desenvolver doenças autoimunes.
Se tiver abaixo da inflamação, significa baixada imunidade e suscetibilidade a infecções.
Por isso que deve haver o equilíbrio. O consumo de Omega 3 ajuda a manter esse equilíbrio e proporciona inúmeros outros benefícios. Os quais vamos conhecer agora nesse artigo. Continue lendo. Vamos aprender mais!
O ômega 3 é um tipo de ácido graxo, importante para uma série de funções do organismo. O seu consumo também ajuda a prevenir doenças variadas e a oferecer uma melhor qualidade de vida. Assim como outras gorduras, o ômega 3 é considerado um ácido graxo essencial.
Essa denominação é dada aos nutrientes quando não são sintetizados pelo corpo e, por isso, é preciso obtê-lo através da alimentação. Já as suas fontes são muitas, entre elas, os peixes de águas profundas, a exemplo do atum, salmão, cação, bacalhau, cavalinha, arenque e outros.
Demais alimentos que se destacam pela quantidade do nutriente que possuem são as sementes de linhaça, considerada a principal fonte de ômega 3. No entanto, as sementes de chia e nas nozes são outros alimentos ricos nesse nutriente.
Em quantidade menores, o ômega 3 é encontrado também em alguns vegetais. Entre eles, o espinafre, couve, brócolis e rúcula. Por isso, uma alimentação equilibrada e variada é fundamental para o bom funcionamento do organismo.
E para você descobrir quais são todas as vantagens de consumir esse nutriente continue lendo este artigo e confira os 17 benefícios cientificamente comprovados do ômega 3. Boa leitura!

1 – Ômega 3 reduz fatores de risco para doenças do coração

Todo mundo já deve saber que uma alimentação equilibrada e saudável ajuda a prevenir doenças cardíacos. E para que essa alimentação seja realmente eficiente na proteção do coração, é de fundamental importância ter uma dieta rica em ômega 3.
Esse ácido graxo atua na redução dos fatores de risco para as doenças mais comuns do coração, entre elas, derrames e ataques cardíacos. Esses problemas são, comprovadamente, algumas das principais causas de morte em todo o mundo.
Diversos estudos são feitos e comprovam que o ômega tem papel relevante nesse sentido. Entre as pesquisas constatou-se que as pessoas que ingerem peixes regularmente têm taxas muito menores de risco para doenças do coração.
Depois, com outras pesquisas, conclui-se que a razão para esse fato estava justamente por conta do maior consumo de ômega 3. A forma como o nutriente combate essas doenças pode ser explicada de diferentes maneiras.
Entre elas, as principais são:
  • O ômega 3 contribui para a redução da pressão arterial, inclusive, em indivíduos que sofrem de pressão alta, sendo que esse é um dos principais fatores para as doenças cardíacas.
  • O ômega 3 consegue aumentar os níveis do colesterol HDL, também conhecido como bom colesterol, o que ajuda no combate dos problemas de coração.
  • O ômega 3, por outro lado, também reduz os níveis de triglicerídeos do sangue, mais um fator importante na prevenção das doenças cardíacas.
  • O ômega 3 impede a formação de coágulos sanguíneos nas veias, devido às plaquetas que se juntam.
  • O ômega 3 também evita que se formem as placas que podem levar ao endurecimento das artérias ou a sua obstrução. Assim, com artérias lisas e livres estão mais uma vez reduzidos os fatores de risco para problemas cardíacos.
Mas é preciso atentar para o fato de estudos apontarem que os suplementos com esse nutriente não mostram os mesmos benefícios para o organismo. Então, nada melhor do que ter no cardápio do dia a dia alimentos ricos naturalmente em ômega 3.

2 – Ômega 3 ameniza os sintomas da síndrome metabólica

O ômega 3 colabora ainda com a saúde do coração por meio da prevenção da síndrome metabólica, uma condição que pode levar não só a doenças do coração, como a outras também, a exemplo do diabetes. Essa síndrome é caracteriza por diferentes problemas.
Entre eles, obesidade, inclusive quando se tem a chamada gordura visceral, aquela que se acumula no abdômen e é perigosa porque fica ao redor dos órgãos vitais. A hipertensão arterial, triglicerídeos elevados e níveis baixos de HDL (bom colesterol) são outros.
Há também a resistência à insulina. Então, perante a combinação dessas condições, são grandes as chances de ter a síndrome metabólica e, por consequência, problemas mais graves. Como já vimos, o ômega 3 é benéfico para evitar quase todos esses sintomas.

3 – Ômega 3 previne o organismo da inflamação

Outro problema bastante comum, atualmente, é a chamada inflamação, que acomete o organismo. Ela pode acontecer de diferentes maneiras, inclusive, por meio das infecções que prejudicam o bom funcionamento do corpo.
A questão é que um organismo bem nutrido por meio de uma alimentação equilibrada e saudável consegue reagir bem mesmo perante problemas que ataquem o seu organismo, como é o caso das infecções. E ingerir ômega 3 é uma forma de contribuir para isso.
E mais, as inflamações crônicas são as mais perigosas, uma vez que levam a outros problemas, como as doenças cardíacas, além do câncer. E é nesse ponto que o ômega 3 se mostra benéfico.
Isso porque esse ácido graxo consegue diminuir a produção de moléculas e substâncias ligadas à inflamação. Então, funciona como um poderoso aliado no combate e mesmo tratamento de inflamações, mas claro, não substitui o que for prescrito pelo seu médico.

4 – Ômega 3 pode combater doenças autoimunes

O ômega 3 tem papel importante na prevenção de mais uma categoria de problemas de saúde bastante complicado de tratar: as doenças autoimunes. Nelas, ocorre uma falha no sistema imunológico que faz ele atacar as células saudáveis porque as confunde com células estranhas.
Entre as doenças autoimunes, é possível citar o diabetes tipo 1, situação em que o sistema imunológico ataca as células do pâncreas que produzem insulina. Outros exemplos são lúpus, artrite reumatoide, doença de Cohn, psoríase, colite ulcerativa e esclerose múltipla.
O ômega 3 consegue combater essas doenças porque estudos constataram a sua eficiência ainda no período de lactação. Quando o recém-nascido obtém quantias suficientes desse nutriente, no seu primeiro ano de vida, as chances de ter doenças autoimunes são menores.

5 – Ômega 3 tem papel no tratamento de transtornos mentais

A importância de uma alimentação rica em ômega 3 é constatada sempre que os baixos níveis desse nutriente estão associados ao desenvolvimento de doenças. Mais um exemplo dessa relação são os distúrbios psiquiátricos, como o transtorno bipolar e a esquizofrenia.
A vantagem, nesse contexto, é que pesquisas apontam que até mesmo suplementos a base de ômega 3 são benéficos. Ele consegue amenizar as alterações de humor em indivíduos bipolares. Da mesma forma, reduz o comportamento violento em pacientes esquizofrênicos.

6 – Ômega 3 pode combater a demência  

Além de ajudar no tratamento de transtornos mentais, a ciência mostra que o ômega 3 é realmente um grande aliado da saúde do cérebro. Isso porque pesquisas também indicam que ele pode ter efeito positivo na prevenção da demência.
Essa é uma condição associada tanto à idade quanto a doenças como o Mal de Alzheimer, que se caracteriza pela diminuição da função cerebral. Embora a demência possa ser inevitável por conta da idade, com ômega 3 é possível retardar o seu aparecimento.
Isso pode ser explicado por meio de um estudo que apontou a relação entre consumir os peixes ricos no nutriente com uma maior massa cinzenta no cérebro. Esse é um tecido cerebral que tem a função de processar emoções, informações e memórias.

7 – Ômega 3 diminui a gordura no fígado

O ômega 3, assim como outros ácidos graxos, é considerado uma boa gordura, importante para o organismo. Mas como se sabe, existem também outros tipos de gorduras, inclusive, as que são maléficas para o bom funcionamento do corpo.
Essas gorduras ruins podem causar diferentes problemas para a saúde, como a Doença hepática gordurosa não alcoólica, bastante comum. Ela tem diferentes fatores de risco, inclusive, a obesidade.
E curiosamente, o ômega 3, que é uma gordura boa, pode reduzir a gordura ruim que se instala no fígado. Até mesmo suplementos desse nutriente são eficientes, comprovando, mais uma vez, que existem gorduras que fazem bem para a saúde.

8 – Ômega 3 colabora com a prevenção do câncer

O câncer é mais uma doença que pode ser evitada com o consumo regular de alimentos ricos em ômega 3. Além disso, pesquisas indicam que são diferentes os tipos de câncer que esse nutriente pode prevenir o seu desenvolvimento.
Entre eles, o câncer de cólon e de mama, bem como o de próstata. Mesmo assim, é importante estar atento aos demais fatores de risco e os evitar.

9 – Ômega 3 promove a saúde do cérebro 

Como já vimos, o ômega 3 faz bem para a saúde do cérebro e isso acontece desde o início, na gestação e pode se estender para os primeiros anos de vida da criança. Na gravidez, ele possui papel fundamental no crescimento e o desenvolvimento do cérebro do feto.
Por isso, é importante que as gestantes consumam alimentos ricos em ômega 3 e até mesmo suplementos alimentares, se forem prescritos pelo médico. Além do cérebro, o ômega 3 ajuda as crianças a terem uma melhor visão.
Outros estudos apontam mais benefícios para os pequenos. Entre eles, é possível destacar:
  • Comunicação e habilidades sociais mais afinadas;
  • Inteligência mais apurada;
  • Redução do risco de atraso no desenvolvimento;
  • Menor chance de problemas como paralisia cerebral, TDAH e autismo;
  • Riscos reduzidos de problemas de comportamento.

10 – Ômega 3 ajuda no tratamento de asma em crianças

O ômega 3 é um grande aliado das crianças, como é possível conferir, o que promove adultos mais felizes e saudáveis. Nesse sentido, pode-se citar ainda o benefício que o nutriente proporciona aos pequenos com asma.
Essa doença pulmonar crônica apresenta sintomas de falta de ar, chiado no peito e tosse. Crianças podem ter crises de asma perigosas, causadas pela inflamação e pelo inchaço das vias aéreas dos pulmões. As razões são muitas, inclusive, até mesmo a poluição.
A boa notícia é que estudos estão relacionando um menor risco de ter asma com o consumo de ômega 3 quando pequenos. O mesmo acontece durante a gestação, por meio da alimentação de suas mães.

11 – Ômega 3 contribui para o tratamento de TDAH em crianças

Outro problema que, a cada ano, afeta mais crianças é o chamado TDAH – transtorno do déficit de atenção e hiperatividade. Essa é uma condição comportamental que se caracteriza por atitudes como impulsividade, desatenção, agressividade e hiperatividade.
Entre os estudos feitos sobre esse transtorno, constatou-se que as crianças com a condição apresentam níveis mais baixos de ômega 3 em seu sangue. Isso pode ser comprovado quando é comparada a concentração em crianças sem o problema.
Aqui, os suplementos também mostram bons resultados. A explicação é porque esse ácido graxo estimula a atenção e a capacidade de completar tarefas. Da mesma forma, reduzem os demais sintomas comuns nos casos de TDAH.

12 – Ômega 3 pode melhorar a saúde dos olhos

DHA – ácido docosahexaenóico é um tipo de ômega 3, sendo que ele possui importância estrutural na retina do olho. Isso significa que o nutriente também contribui para a qualidade da visão nas pessoas.
Dessa forma, ao consumir o ácido graxo regularmente, é possível não só enxergar bem, como também se prevenir de diferentes problemas que podem afetar os olhos. É o caso da chamada degeneração macular, um dos motivos mais comuns que, hoje, levam a outros problemas.
Exemplos são a cegueira e o dano ocular permanente, os quais podem afetar quaisquer pessoas, uma vez que não tem relação com problemas de visão, como miopia. Ou seja, é mais uma doença que pode aparecer com a idade.

13 – Ômega 3 contribui com a saúde dos ossos e articulações

As suas articulações e ossos também agradecem se você incluir os alimentos ricos nesse ácido graxo no cardápio do seu dia a dia. Afinal, o ômega 3 é um importante aliado no combate de problemas como a artrite e a osteoporose.
Ambas as situações atacam o sistema esquelético, enfraquecendo-o e prejudicando em muito a saúde e a qualidade de vida das pessoas. A relevância do ômega 3 se dá porque consegue deixar os ossos mais fortes, ao aumentar os seus níveis de cálcio.
Do contrário, são grandes os riscos de osteoporose. Quanto à artrite, estudos mostram que o uso de suplementos do nutriente reduz a dor nas articulações e aumenta a força de suas mãos para realizarem as atividades do dia a dia.

14 – Ômega 3 mantém a saúde da pele

A função estrutural do DHA também possui importância na constituição da pele. Esse papel é, principalmente, relevante no que diz respeito à saúde das membranas celulares, que formam grande parte da pele.
Assim, quanto mais a membrana celular estiver saudável, mas a pele se torna úmida, o que evita o ressecamento, bem como macia e flexível, combatendo as rugas e as linhas de expressão.
Já a EPA – ácido eicosapentaenoico, outro tipo de ácido graxo ômega 3 também entra em cena. Ele atua na pele de muitas outras maneiras, veja quais são elas:
  • Controla a hidratação da pele;
  • Faz a manutenção da produção de óleo na pele;
  • Combate a acne;
  • Evita o aparecimento da hiperqueratinização com obstrução do canal folicular, ou seja, espinhas, cistos, pústulas ou pápulas inflamatórias na pele;
  • Bloqueia a liberação de substâncias que consomem o colágeno da pele depois de exposta ao sol, protegendo-a dos seus danos;
  • Previne o envelhecimento prematuro da pele.

15 – Ômega 3 colabora com o alívio da dor menstrual

A forte dor menstrual é um sintoma que afeta a qualidade devida de muitas mulheres, podendo até mesmo atrapalhar a sua rotina. Esse mal-estar acontece na região inferior do abdômen e na pelve, podendo irradiar para as coxas e para as costas.
Mas com uma alimentação rica em ômega 3 tudo isso pode ser evitado. Estudosdescobriram que esse nutriente, podendo ser consumido até por meio de suplementos, é mais eficiente do que remédios usados para amenizar o sintoma, graças ao seu efeito anti-inflamatório.

16 – Ômega 3 contribui com uma boa-noite de sono

Mais um dos benefícios cientificamente comprovados do ômega 3 é que ele ajuda as pessoas a dormirem melhor. Isso foi comprovado por meio de pesquisas que associaram o ácido graxo à redução de problemas de sono em crianças e apneia obstrutiva do sono em adultos.
Já os níveis baixos de DHA mostraram que têm ligação com níveis igualmente baixos do hormônio melatonina, que se tem conhecimento que ajuda a adormecer. E mesmo o suplemento de ômega 3 pode ser útil nessas finalidades.
Vale lembrar que dormir bem todos os dias é de fundamental importância para a saúde, bem-estar e qualidade de vida. Quando isso não acontece, os riscos de aparecer doenças, como diabetes, obesidade e até mesmo depressão são maiores.

17 – Ômega 3 pode combater a depressão e a ansiedade

Já que o sono de qualidade é uma forma de prevenir a depressão, esse problema também pode ser evitado com o consumo de alimentos que sejam fonte e ômega 3. Esse é um problema que acomete muitos indivíduos em todo o mundo.
Alguns dos seus sintomas são letargia, tristeza e um desinteresse generalizado. A ansiedade é outro distúrbio comum e que pode ser prevenido e mesmo tratado com a ajuda desse ácido graxo. Já os seus principais sintomas são nervosismo e preocupação constantes.
Os suplementos de ômega 3 também são eficientes para ambos os casos, sendo que existem três tipos de ácidos graxos ômega 3: ALA, EPA e DHA. O EPA mostrou-se mais eficiente no tratamento de depressão e ansiedade.
Embora o seu uso deva ser acompanhado pelos medicamentos prescritos pelo seu médico e não os substitui, é um grande aliado no combate desses problemas.

18 – Como consumir ômega 3 no dia a dia 

É importante lembrar que mesmo o ômega 3 sendo um ácido graxo com inúmeras vantagens para a saúde, qualidade de vida e bem-estar, como foi visto neste artigo, até mesmo ele deve ser consumido com moderação. Da mesma forma que deve ser feito com todos os nutrientes.
Nada em exagero é bom, nem os alimentos mais saudáveis para o organismo. Quanto ao uso dos suplementos, é essencial ter orientação médica para que também não ocorram exageros. É importante seguir as doses recomendadas, caso contrário, pode haver outros problemas. Com informações do site Deber.

Nenhum comentário