Teste


Breaking News

Grupo de amigos pedala de Amargosa a Bom Jesus da Lapa em ritmo de paixão e fé


Motivados pela paixão ao esporte e movidos pela fé em Senhor Bom Jesus, um grupo de 19 amigos ciclistas, entre 15 e 60 anos, enfrentou o desafio de pedalar até o município de Bom Jesus da Lapa, a 570 quilômetros de Amargosa, onde moram. Partiram com suas bikes na madrugada de domingo (20) e retornaram nesta sexta (25). Voltaram de carro, com suas bicicletas na “garupa”, mas a poucos quilômetros de chegar em Amargosa montaram em suas bikes para uma entrada triunfal na cidade, onde foram recebidos pela população com fogos de artifícios e uma carreata. No peito de cada um, a emoção e o orgulho de terem encarado a poeira da estrada, o sol fervente no rosto e o desgaste físico de longas horas pedalando para a realização de uma aventura que, garantem, simboliza uma vitória coletiva e solidária. Em frente à Catedral Nossa Senhora do Carmo, eles fizeram uma roda e agradeceram.
bicletaA estudante Thais Helena Silva, 26, uma das três mulheres do grupo e veterana no pedal, conta que foi a primeira vez que participou de uma expedição para tão longe. Ela já treina com frequência em trilhas pela região, mas quando decidiu que enfrentaria o desafio passou a pedalar diariamente de 50 a 70 quilômetros. “Mesmo consciente de que queria passar pela experiência, batia insegurança e ansiedade. Ficava me perguntando: será que vou aguentar? Será que tenho estruturas física e emocional para pedalar quase 600 quilômetros? Mas em nenhum momento pensei em desistir”, revela.
Thais relata que o único momento da viagem que a deixou apreensiva foi quando, faltando 50 km para chegar em Bom Jesus da Lapa, ela achou que não suportaria mais por conta do cansaço e das dores no corpo. “Parei para um café e parece que foi Deus que me tirou todas as dores e eu segui, sem precisar ter que terminar o percusso no nosso carro de apoio. Quando chegamos no Santuário de Bom Jesus da Lapa não aguentei: as lágrimas derramaram. Eu tinha conseguido!”, conta, emocionada.
grupoAlém do desgaste físico de pedalarem ao longo do dia por cerca de cinco horas seguidas até a parada de descanso, os ciclistas tiveram poucas horas de sono nos três dias de estrada. É que eles recomeçavam a viagem às 3h e nunca dormiam antes das 22h. Mas, ao se levantarem para mais um dia de aventura na estrada, o ânimo era contagiante. E nos intervalos, contam, a animação entre amigos prevalecia, regada à cerveja e a churrasco, feito por eles mesmo que levaram, no carro de apoio, toda a estrutura necessária.
Hermes Alves, 60 anos, o mais velho da equipe, era um dos mais experientes na travessia rodoviária via bike. “Esta é a segunda vez que pedalo de Amargosa para Bom Jesus da Lapa. Como na primeira, esta vez foi maravilhosa. A união do grupo faz com que a gente vá superando os desafios. Claro que tem momentos de dificuldades por conta do calor e do cansaço e, nessas horas, eu me perguntava: o que é que estou fazendo aqui? Não é fácil, é muito chão. A gente pedalou quase 190 km em um dia só, como aconteceu no segundo dia, de Maracás a Brumado. Mas quando chegamos, a emoção toma conta e a gente joga para cima o cansaço e já pensa no próximo desafio”, vibra.
O caçula do grupo, Arthur Carvalho, 15 anos, também é veterano na aventura de bike para Bom Jesus da Lapa. Ele conta que seus pais, Lino Pinheiro e Vane Rodrigues, dupla organizadora da expedição, sempre o incentivaram a pedalar e, no ano passado, fez sua primeira viagem nesse trajeto. “Faz dois anos que pedalo, sempre convidado por meu pai para fazer trilhas pela região de Amargosa. Ele observava que eu tinha aptidão e eu comecei a gostar do esporte. É uma experiência maravilhosa e, desta vez, me sai melhor porque me senti mais preparado. A emoção é muito grande quando você olha para trás, depois de ter passado por tanta estrada, e vê que tem a força de Deus ali que impede o cansaço nos fazer desistir no meio do caminho”.
Atenta a toda a organização da expedição, a mãe de Arthur, Vane Rodrigues, acredita que o desafio é bem-sucedido graças ao companheirismo, à fé e ao amor ao esporte. “Temos um grupo coeso e animado”, afirma. Ela conta que a semente da viagem de bike foi plantada há cinco anos, quando o marido, Lino Pinheiro, fez o roteiro Amargosa-Bom Jesus da Lapa com um amigo. Daí que tivemos a ideia: por que não fazermos a aventura em grupo? Então, nos preparamos financeira e fisicamente para colocar em prática o que acreditávamos ser possível. São muitos os desafios, e a gente entrega a Deus, criando uma energia positiva em torno de nós. Pelo caminho, não é só cansaço; nos divertimos também. Seguimos um atrás do outro, a maioria ouvindo música, todos em ritmo de muita alegria, mesmo tendo sido esta a viagem mais longa e mais difícil que fizemos”.

Nenhum comentário