Levantamento revela que clã Bolsonaro nomeou 102 assessores com laços familiares


De acordo com um levantamento feito pelo jornal O Globo, Desde 1991, quando Jair Bolsonaro assumiu seu primeiro mandato como deputado e deu início à trajetória da família na política, o presidente e seus três filhos empregaram mais de uma centena de funcionários com parentesco ou relação familiar entre si, vários deles com indícios de que não trabalharam de fato nos cargos.
A reportagem identificou 286 assessores nomeados por Jair, Carlos, Flávio e Eduardo Bolsonaro, sendo que ao menos 102 possuem algum parentesco ou relação familiar entre si (35%), e vários deles com indícios de que não trabalharam de fato nos cargos.
Neste domingo (4), o presidente da república rebateu a pesquisa. “Que mania que todo parente de político não presta? Eu tenho um filho que está para ir para os Estados Unidos e foi elogiado pelo Trump. Vocês massacraram meu filho, a imprensa massacrou, (chamou de) fritador de hambúrguer”, disse Bolsonaro.
“Eu não tenho 102 parentes. Como é que eu botei 102 parentes no gabinete dos meus filhos? Não dá para entender, é uma mentira deslavada ali. Já botei parentes no meu gabinete, já botei no passado sim. Antes da decisão de que nepotismo seria crime. Qual o problema?”, declarou o presidente.

Nenhum comentário