Distribuição da vacina contra a COVID-19: Estudo da DHL mostra como os setores público e privado podem fazer parcerias de sucesso

Imagens da internet


• A distribuição global de 10 bilhões de doses da vacina precisa de um aumento na escala das cadeias de suprimentos hospitalares

• Estudo identifica pontos críticos na logística de enfrentamento à COVID-19

• Proposta para solucionar emergências futuras de saúde além da COVID-19 também é apresentada

São Paulo, setembro de 2020 - Com as primeiras autorizações para uso emergencial das vacinas contra a COVID-19, cuja vigência é esperada para o último trimestre de 2020, os provedores logísticos enfrentam o desafio de estabelecer rapidamente cadeias de suprimentos hospitalares que forneçam uma quantidade excepcional de mais de dez bilhões de doses de vacina em todo o mundo.

Tendo isso em vista, a DHL, em parceria com a McKinsey & Company, está publicando um estudo exclusivo sobre o fornecimento de logística estável para vacinas e produtos hospitalares durante a pandemia de COVID-19 e em crises de saúde futuras.

Atualmente, mais de 250 vacinas estão sendo desenvolvidas e testadas em sete plataformas tecnológicas. Uma vez que as vacinas contra a COVID-19 pularam fases de desenvolvimento, requisitos mais rígidos de temperatura (até -80°C) poderão ser impostos para certas vacinas, a fim de garantir que sua eficácia seja mantida durante o transporte e o armazenamento.

Esses requisitos geram novos desafios de logística para a cadeia atual de suprimentos hospitalares, que normalmente distribui vacinas a aproximadamente 2°C a 8°C. No estudo, a DHL avalia como o transporte das vacinas, enquanto produtos com alta sensibilidade à temperatura, pode ser gerido de modo eficaz para enfrentar uma propagação maior do novo coronavírus.

O escopo é imenso: para fornecer cobertura global de vacinas contra a COVID-19, até 200 mil embarques de paletes e até 15 milhões de entregas em caixas de refrigeração, bem como 15 mil voos, aproximadamente, serão necessários nas várias configurações da cadeia de suprimentos.

"A crise da COVID-19 surgiu com uma dimensão e um impacto sem precedentes. Ela exigiu que os governos, as empresas e o setor logístico se adaptassem rapidamente aos novos desafios. Como líder mundial em logística, queremos compartilhar nossa experiência de atuação durante uma das maiores crises de saúde na história moderna, de modo a desenvolver estratégias em um mundo cada vez mais conectado", explica Katja Busch, Chief Commercial Officer da DHL.

No Brasil, a DHL Supply Chain tem uma prática consolidada na logística de vacinas, sendo responsável há mais de 10 anos pela distribuição para a campanha nacional da vacina da gripe. A unidade dispõe também de uma transportadora especializada em carga com temperatura controlada, a Polar & Rio Lopes. Autorizada pela ANVISA e com Certificação ISO 9001:2008 desde o ano de 2003, a empresa mantém uma frota de veículos com baús refrigerados modernos e preparados para atender às especificações de cada carga, além de colaboradores especificamente treinados para atender as particularidades do setor. Essa especialidade, levou a Polar a atuar fortemente durante a pandemia no transporte de itens associados ao combate da doença, incluindo medicamentos, insumos para testes, peças para respiradores e até vacinas experimentais para diferentes regiões do Brasil.

A DHL Express conta com uma estrutura global, assim como, soluções para o transporte de vacinas e insumos no menor tempo de trânsito para que as amostras de qualquer lugar do mundo cheguem em menor tempo, com a segurança e com os protocolos exigidos pela ANVISA e demais órgãos reguladores internacionais.

No que se refere aos transportes internacionais, a DHL Global Forwarding, unidade especializada em frete aéreo e marítimo do Deutsche Post DHL Group, desenvolveu e implementou, desde fevereiro, em escala global, diversas soluções logísticas, dentre elas, voos charters para manter o suprimento da linha de produção e dos armazéns dos seus clientes. No total, foram adicionadas ao mercado mais de 9 mil toneladas de espaço cruzando os céus. Outra opção para atender à demanda é o serviço Multimodal Express (MMEX), há mais de um ano em funcionamento regular, combinando os modais de transporte marítimo, rodoviário e aéreo com origem da China para toda a América Latina, com exclusiva performance operacional, menos tempo de trânsito e custo-benefício para os clientes DHL. A DHL Global Forwarding também anunciou uma série de aprimoramentos tecnológicos em seus serviços de logística em Life Sciences & Healthcare, projetados para atender as necessidades da logística em evolução da indústria farmacêutica.

Gestão futura em crise de saúde pública deverá incluir parcerias público-privadas

Desde o início da pandemia, a demanda por suprimentos hospitalares registrou um enorme aumento. Por exemplo, o Unicef adquiriu 100 vezes mais máscaras faciais e duas mil vezes mais luvas cirúrgicas do que em 2019.

Conseguir que os suprimentos hospitalares chegassem de suas origens distantes para serem usados na linha de frente foi uma das atividades mais cruciais na gestão do combate à epidemia na primeira fase da emergência de saúde.

Em relação aos EPIs, especificamente, a logística teve outro enorme desafio, devido à concentração geográfica da produção, à capacidade limitada de transporte aéreo e à falta de verificações da qualidade do recebimento.

Para garantir o suprimento estável de itens hospitalares em uma futura crise de saúde, uma configuração abrangente das estratégias e estruturas de enfrentamento de crise de saúde pública precisa ser estabelecida pelos governos, com parcerias dos setores público e privado.

"A distribuição global das vacinas contra a COVID-19 precisaram de uma rede estendida que fosse flexível o suficiente para satisfazer a demanda em várias partes do mundo, de uma base sólida de serviços com controle de temperatura e de uma cadeia segura de suprimentos hospitalares," afirmou Claudia Roa, VP do setor de Global Life Sciences and Healthcare na DHL Americas, DHL Customer Solutions and Innovation.

"Uma parceria direta entre os setores público e privado garantiria que esses embarques altamente sensíveis preservassem sua integridade e fossem entregues de modo eficaz por todo o mundo."

Para iniciar o diálogo entre os diferentes agentes envolvidos e melhorar a resiliência da logística de suprimentos hospitalares em relação à pandemia, a DHL fornece um framework para a cooperação de empresas de logística com órgãos públicos, políticos, ONGs e com a indústria das ciências da vida.

A estrutura proposta ajuda a estabelecer medidas que garantem as maiores estabilidade e segurança possíveis nas cadeias de suprimentos. Além de um plano de resposta a emergências, a proposta inclui uma rede de parceria, uma sólida infraestrutura física em logística e transparência da cadeia de suprimentos habilitada para TI. Por fim, uma unidade de resposta com atribuições claras deverá ser adotada para implementar todas as atividades essenciais de última hora.

Para ler o estudo completo, clique no link a seguir: http://www. dhl.com/pandemic-resilience

- Fim -

Nota aos editores:
Como fornecedora líder de logística para a indústria de ciências da vida e saúde, a DHL oferece logística de saúde inteligente e com visão de futuro por meio de uma gama holística de soluções centradas no paciente. Mais de 9.000 especialistas trabalham em toda a rede global dedicada da DHL para que organizações farmacêuticas, de dispositivos médicos, de testes clínicos e de pesquisa, atacadistas e distribuidores, bem como hospitais e prestadores de serviços de saúde, estejam conectados em toda a cadeia de valor e por meio da digitalização, desde testes clínicos até pontos de cuidado e todas as etapas intermediárias.
A organização oferece serviços de logística e cadeia de suprimentos de alta qualidade e em total conformidade, e defende tecnologias inovadoras que beneficiam os clientes e proporcionam melhores cuidados aos pacientes. O portfólio da DHL para o setor de saúde inclui mais de 150 farmacêuticos, mais de 20 depósitos de ensaios clínicos, mais de 100 estações certificadas, mais de 160 armazéns qualificados pela GDP, mais de 15 locais com certificação GMP, mais de 135 locais médicos expressos e uma rede expressa internacional com tempo definido cobrindo 220 países e territórios.

Encontre mais press releases para download assim como informações complementares em http://www.dpdhl.com/pressreleases.

Contato de Imprensa
DFreire Comunicação e Negócios
Rafael Machado
Fone: +55 11 5105-7171
Élida Gonçalves
Fone: +55 11 5105-7171
Mais informações em: http://www.dpdhl.de/press

DHL - The logistics company for the world (DHL - A empresa de logística para o mundo)

DHL é a marca líder mundial no setor logístico. Nossas divisões da DHL oferecem um portfólio único de serviços de logística que abrangem desde a entrega de encomendas nacionais e internacionais, as soluções de operação e transporte de comércio on-line, remessas expressas internacionais e os transportes marítimo, aéreo e rodoviário até o gerenciamento da cadeia de suprimentos industriais. Com os 380.000 colaboradores em mais de 220 países e territórios em todo o mundo, a DHL conecta as pessoas e os negócios de maneira segura e confiável, o que possibilita fluxos de comércio global sustentáveis. As soluções especializadas para os mercados e setores em crescimento, que incluem os de tecnologia, ciências da vida e saúde, engenharia, manufatura e energia, automobilístico e de varejo colocam a DHL significativamente na posição de "The logistics company for the world (A empresa de logística para o mundo)".
A DHL faz parte do Grupo Deutsche Post DHL. O Grupo gerou receitas de mais de 63 bilhões de euros em 2019. Com práticas empresariais sustentáveis e um compromisso com a sociedade e o meio ambiente, o Grupo contribui positivamente para o mundo. Até o ano 2050, o Grupo Deutsche Post DHL planeja alcançar uma logística sem emissões .

Nenhum comentário